top

quinta-feira, 8 de março de 2007

8 de Março

No dia 8 de março de 1911, em Nova York, acontecia uma manifestação liderada por mulheres trabalhadoras da indústria têxtil que protestavam contra as más condições de trabalho nas fábricas e os salários reduzidos. As protestantes foram trancadas dentro da fábrica pelos patrões e pela polícia, que ateram fogo no prédio. 129 trabalhadoras morreram carbonizadas nesse dia.
Essa não foi a primeira das manifestações de cunho feminista conhecidas, mas acabou tornando-se um marco das lutas pelos direitos iguais entre a mulher e o homem. Várias conquistas foram obtidas apartir das manifestações do 8 de março, por exemplo, o direito a voto e melhores salários.
O movimento feminista atua em diversas frentes como contra a violência à mulher, direitos civis, melhores condições de trabalho e de remuneração, pelo seu papel na sociedade e na família, dentre outras causas.

Homens e mulheres têm diferenças e não são poucas, acho isso evidente. Existem várias vertentes do movimento feminista, a que eu mais acredito e dou total apoio é a que aceita diferenças entre os sexos (alguns até são contra o termo "feminismo" que pode sugerir um sexismo), mas que estas não sejam utilizadas como argumento para o preconceito e o desrespeito.
O problema é que essas diferenças costumam ser mal interpretadas à favor do homem. Por exemplo o fato de os homens terem uma musculatura mais desenvolvida resultar de expressões como "sexo frágil" ou de tratar as mulheres como incapazes de certas atividades devido ao seu corpo. É ignorante chamar de frágil uma pessoa que desloca a bacia pra poder parir um filho, ou vários.
Ou até mesmo coisas mais simples que costumam passar desapercebidas no nosso vocabulário, como referir-se à humanidade como "o homem". Pode parecer pequeno, mas há os que defendem a teoria de que a língua utilizada tem um impacto enorme nas relações sociais. Em contraponto à isso, existem outras línguas que possuem pronomes masculinos, femininos e neutros.
Apesar de o 8 de março ser marcado pela tragédia do assassinato cruel de 129 mulheres, não encaro esta como uma data triste. Vejo ela como a continuação da luta daquelas que morreram em nome de direitos que as mulheres de hoje têm (apesar de os contrastes da posição entre os sexos na sociedade ainda serem gritantes), além da celebração dos direitos iguais na humanidade, independete de credo, etnia ou sexo.
Desejo à todas um feliz Dia Internacional da Mulher.




Fonte: www.wikipedia.org (Feminismo e Dia Internacional da Mulher)

Obs: é capaz de a data da manifestação da fábrica estar errada, já li também que o ano certo é 1857.

6 comentários:

Unknown disse...

Obrigada pela visita no blog , pelos parabéns e pelo post!
Bjs

Maria Joana disse...

eeeee \o/
obrigada pelos parabéns
ahhh, isso tudo foi dito hoje lá na apresentação que te falei, que por um acaso foi muito legal (ahhh, a cena ficou hilária, depois te conto)

Beijos
^^

Mariliza Silva disse...

Adoraria receber a música! Du!

pode me mandar: marilizasilva@yahoo.com.br

beijos e obrigada pelo carinho

Mariliza

Unknown disse...

Lendo e vendo que existem pessoas como você Dudu eu me orgulho de ser mulher e lutar com unhas e dentadas pelos nossos direitos, me orgulho também de ser uma das "damas" q vieram protestar contra a injustiça sobre esse belo sexo. Isso, toda essa imoralidade repugnante que passamos por ser ditas como sexo frágil existe mas vai se esvaindo pouco a pouco,porque mais e mais as mulheres estão vendo que o que elas conseguiram (voto, direito ao estudo e etc) é um direito delas e não uma dádiva.
Gostei muito de ler o post no seu blog \o//
Obrigada, agora eu vou queimar o resto dos sutiens XD

Cadinho RoCo disse...

Interessante ter cuidado com a exploração sobre preconceitos que terminam por promover outros.
Cadinho RoCo

Mariane disse...

Oiiiii
Parabéns pelo post
Hum...
eu perguntei para muita gente, ninguém se lembrava, mas a mídia é culpada mesmo.
Mas mesmo assim, eu achei aquilo uma burrice!
Mas...
Beijo, obrigada pela dica!